Precisamos falar sobre saúde suplementar

Há quantos anos você escuta que a saúde e a educação são os grandes problemas do Brasil? Eu vou te responder, e responder certo. Diminua três anos da sua idade e aí está a resposta. Desde que você começou a entender o que se fala à sua volta, você sabe que os dois grandes problemas do Brasil são saúde e educação.

Vamos tratar aqui de saúde, e começar fazendo justiça. A saúde no Brasil vem melhorando bastante. Há a ponta dos hospitais de referência que oferecem tratamentos semelhantes aos dos melhores hospitais do mundo (lembrem-se que até há poucas décadas era comum nas famílias ricas que os doentes muito graves fossem tratados no exterior, hoje ninguém mais fala nisto). E na outra ponta há o SUS que apesar de todas suas mazelas melhorou consideravelmente o atendimento dos milhões e milhões de brasileiros usuários da saúde pública. O outro grande eixo de atendimento aos doentes é provido pelo sistema de saúde suplementar. Suplementar aí é uma palavra enganosa, afinal um leitor apressado pode confundir suplementar com desnecessário, e nada mais falso do que esta suposição.

São 48 milhões de brasileiros que confiam a sua saúde, o sem bem estar, às instituições integrantes do sistema de saúde suplementar formado por hospitais, clínicas, laboratórios, e a imensa rede de profissionais de saúde e fornecedores de serviços que formam a popularmente chamada medicina particular. Todo este sistema é viabilizado pelos planos de saúde que intermediam os pagamentos dos tratamentos aos hospitais e demais integrantes da cadeia de suprimentos de serviços de saúde.

Uma vez mais estamos longe da perfeição, os serviços de proteção ao consumidor vivem abarrotados de reclamações de clientes aos planos de saúde, ao atendimento nos hospitais. Uma vez mais há de se reconhecer que apesar disto estamos melhorando muito e, felizmente, as histórias de bom atendimento são muito mais frequentes do que as queixas.

Pois bem, o Ministério da Saúde está promovendo uma discussão do sistema de saúde suplementar cujas conclusões com certeza modificarão vários dos regulamentos em vigor. O motivo foi pandemia que agudizou diversos pontos críticos do sistema. Para isto foi realizada uma reunião do Conselho de Saúde Suplementar (Consu), que andava meio esquecido, e chamada uma consulta pública na qual foram recebidas mais de mil e setecentas contribuições.

Resumo da ópera, estamos no início de uma grande reforma da Saúde Suplementar que, como escrevemos acima, não tem nada de suplementar para milhões de brasileiros.

Para discutir estes pontos, e para dar visibilidade ao público dos pontos de vista dos provedores de serviços do sistema de saúde, o sindicato e a federação de hospitais do Rio de Janeiro, com o apoio do Sindicato de Hospitais de São Paulo, agora no dia 22 estará promovendo um grande debate acessível a todos pelo YouTube. Participarão do webinar "Saúde Suplementar de Desenvolvimento" representantes do governo, dos hospitais, dos planos saúde e da OAB, uma vez que a judicialização da medicina é um dos temas a ser enfrentado.

Se você está profissionalmente ligado de alguma forma ao sistema de saúde, te é imprescindível assistir. Se você é usuário de planos de saúde e está preocupado com o retorno que você recebe pelas mensalidades que paga, é mandatório assistir.

Reserve desde já o dia 22 de setembro para acompanhar o evento.

SERVIÇO

Webinar Saúde Suplementar e Desenvolvimento

Dia 22/09 - a partir das 9h30

Transmissão pelo Youtube - clique aqui e ative o sininho para não perder 

 

Por José Carlos Meira Mattos

MME - Meira Mattos Educação

Entidades do Setor