Implicação

zikavirusO vírus da zika pode ajudar a tratar câncer no cérebro, diz pesquisa

Os cientistas podem ter encontrado um uso positivo para a zika. Enquanto o vírus pode causar danos devastadores aos fetos em desenvolvimento durante a gravidez, pesquisadores da Faculdade de Medicina de Washington e da Universidade da Califórnia acreditam que ele também pode ser usado para tratar glioblastoma, um tumor maligno que afeta o cérebro. O estudo foi publicado nesta terça-feira (5) no "The Journal of Experimental Medicine".

O vírus da zika é conhecido por infectar e matar as células do cérebro dos fetos, causando microcefalia e outras malformações. O que os especialistas acreditam é que esse mecanismo pode ser direcionado para os tumores. O zika poderia aumentar as chances de sobrevivência de pacientes com câncer no cérebro - que mata, muitas vezes, um ano após o diagnóstico.

"Nós mostramos que o vírus da zika pode matar as células do glioblastoma que têm tendência a resistir aos tratamentos atuais e que levam à morte", disse Michael S. Diamond, professor na Faculdade de Medicina na Universidade de Washington e autor da pesquisa.
Apenas nos Estados Unidos, cerca de 120 mil pacientes são diagnosticados com o glioblastoma, que também é a forma mais comum de câncer no cérebro. O senador John McCain, por exemplo, é uma das pessoas com a doença, descoberta em julho deste ano. No Brasil, são 120 mil casos por ano, de acordo com o Ministério da Saúde.

Os testes

Os cientistas testaram se o vírus de fato poderia matar as células-tronco em tumores removidos dos pacientes com o diagnóstico do câncer maligno. Eles infectaram os cancros com duas cepas do zika: as duas se espalharam pelas células causadoras da doença, evitando em grande parte o crescimento do tumor.

A pesquisa sugere, no entanto, que um futuro tratamento direcionado usando o zika deveria ser complementado com os tratamentos tradicionais, como a quimioterapia e a radioterapia. Isso é necessário porque o vírus ataca as células-tronco cancerígenas, mas ignora a maior parte do tumor.
"Vemos que o zika um dia será usado junto com terapias atuais para erradicar todo o câncer", disse Milan G. Chheda, coautor do artigo e também professor da Faculdade de Medicina da Universidade de Washington.

O grupo também realizou testes em camundongos para ver a reação em animais vivos. Eles injetaram o zika diretamente nos tumores de 18 roedores. Outros 15 receberam como placebo a inserção de água salgada. O câncer diminuiu "significatimente", de acordo com o estudo, duas semanas após a injeção do vírus.

deco tempo

img seguranca

Informativo sobre
Ações de Segurança
do Paciente

Programa Farol

Programa Farol

Saiba como participar do Programa Farol de indicadores de desempenho
Estatutos

Estatutos

Estatuto da Criança e do Adolescente
Estatuto do Idoso

Assessoria Jurídica

Assessoria Jurídica

Legislação, Pareceres, Conv. Coletivas, Jurisprudências e Dúvidas Frequentes
 entidades logo isqua  logo ans  logo cns  logo feherj