Radiologia

RadioterapiaSociedade europeia de radiologia lança projeto para salvar 1 milhão de vidas em menos de 20 anos

Embora a radioterapia seja parte essencial dos tratamentos modernos contra o câncer, e indicada para cerca da metade dos novos pacientes com a doença, muitos países enfrentam uma falta de locais onde ela pode ser aplicada. De fato, 29 de 52 nações africanas não têm qualquer hospital ou clínica em que a radioterapia possa ser administrada. Diante disso, a Sociedade Europeia de Radioterapia e Oncologia (Estro, na sigla em inglês) anunciou nesta sexta-feira a criação de uma parceria global com a qual pretende promover o acesso ao tratamento com o objetivo de salvar 1 milhão de vidas até 2035.

Batizada Impacto Global da Radiação na Oncologia (Giro, também na sigla em inglês), a iniciativa espera reunir líderes na área de oncologia e radioterapia para divulgar o problema e ajudar a encontrar soluções.

— Antes de tudo precisamos entender quais são os obstáculos para uma provisão adequada de radioterapia e definir como podemos melhor lidar com eles, assim como desenhar ações que a comunidade de cuidados com a saúde pode tomar para melhorar a situação atual, tanto em seus países quanto ao redor do mundo — disse Yolande Lievens, presidente da Estro e professora da Universidade de Ghent, na Bélgica, que também integra o comitê que está cuidando do tema de acesso aos tratamentos.

A Estro já tem uma experiência considerável na avaliação da questão devido ao projeto Economia da Saúde em Oncologia Radiológica (Hero, ainda na sigla em inglês), que analisou a disponibilidade, necessidade, custos e a relação custo-benefício da radioterapia no continente europeu. Assim, a iniciativa Giro leva a ideia a um novo patamar, não só pelo seu alcance global, mas também por se concentrar em divulgar a falta dos tratamentos em países que talvez nem tenham conhecimento sobre o problema e os benefícios da radioterapia.

— Será muito importante aumentar a compreensão das vantagens da terapia radiológica entre os pacientes assim como entre os profissionais de saúde em alguns países — destacou Edward Naessens, representante dos pacientes no Comitê de Segurança e Qualidade em Oncologia Radiológica da Estro. — Imagine que você vem de um país sem locais para tratamentos de radioterapia. O quão provável é que você saiba sobre suas potenciais contribuições para seu tratamento contra o câncer? Precisamos assegurar que todos envolvidos sejam informados apropriadamente sobre o que é talvez o mais bem guardado segredo na gestão e cura do câncer, assim como dar a eles as ferramentas para mudar a situação para melhor.

— A radioterapia é parte essencial de qualquer programa bem-sucedido de controle do câncer — reforça Yolande. — A Estro e nossos parceiros no Giro consideram ser nosso dever usar este conhecimento que ganhamos ao longo de vários anos para ajudar os menos afortunados. Estamos determinados a fazer este projeto funcionar em benefício de todos.

Fonte: O Globo 

deco tempo

img seguranca

Informativo sobre
Ações de Segurança
do Paciente

Programa Farol

Programa Farol

Saiba como participar do Programa Farol de indicadores de desempenho
Estatutos

Estatutos

Estatuto da Criança e do Adolescente
Estatuto do Idoso

Assessoria Jurídica

Assessoria Jurídica

Legislação, Pareceres, Conv. Coletivas, Jurisprudências e Dúvidas Frequentes
 entidades logo isqua  logo ans  logo cns  logo feherj