Artigo de Opinião

lider2Confira artigo de Marcelo Dibo, membro da diretoria do SINDHrio e presidente do Instituto Gnosis, sobre saúde mental

Saúde mental depende de gestão eficiente
Por Marcelo Dibo*
A depressão é um tema que preocupa cada vez mais profissionais e gestores de saúde. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca 300 milhões de pessoas de todas as idades sofrem de depressão no mundo. No Brasil, já afeta 11,5 milhões de pessoas, ou 5,8% da população.
Além de abalar a vida social, a depressão também afeta a atividade profissional provocando o aumentando o número dos pedidos de afastamentos e de aposentadorias. Dados do Ministério do Trabalho mostram que, em 2015, 97 mil pessoas foram aposentadas por invalidez em razão de transtornos mentais e comportamentais, o que representa uma conta de R$ 113,3 milhões anuais aos cofres públicos.
Na outra ponta, os serviços de saúde, que também participam desse processo prestando assistência e tratamento àqueles que são diagnosticados com depressão. De acordo com o Ministério da Saúde, entre todos os serviços prestados (ambulatórios, leitos, programas de prevenção e cursos de educação permanente para profissionais de saúde), o gasto federal na área de saúde mental, em 2015, foi de R$ 1,3 bilhão.
O investimento em alternativas para o tratamento da depressão e o emprego de projetos de humanização podem contribuir para amenizar esse quadro. Para isso, é importante dispor de profissionais mais motivados, equipes completas e planos, processos e metas do cuidado mais bem definidos. A receita para essa mudança inclui atitudes transformadoras, que passa pela valorização das equipes, do paciente e das boas práticas.
O Rio de Janeiro, por exemplo, adota o modelo de gestão compartilhada em Clínicas de Saúde da Família, Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), hospitais especializados, entre outros. Há diversas vantagens nesse modelo de contrato; um deles é a reaplicação dos resultados econômico-financeiros na própria unidade assistencial, contribuindo para a diminuição do turnover e garantindo a qualidade na assistência prestada.
*Marcelo Dibo é profissional da área de saúde e Diretor-presidente do Instituto Gnosis

Calculadora Salarial

banner sindhrio calculadora

Atlas da Saúde

 atlas da saude

jobijoba

Indicadores Financeiros

deco tempo

img seguranca

Informativo sobre
Ações de Segurança
do Paciente

Programa Farol

Programa Farol

Saiba como participar do Programa Farol de indicadores de desempenho
Estatutos

Estatutos

Estatuto da Criança e do Adolescente
Estatuto do Idoso

Assessoria Jurídica

Assessoria Jurídica

Legislação, Pareceres, Conv. Coletivas, Jurisprudências e Dúvidas Frequentes
 entidades logo isqua  logo ans  logo cns  logo feherj